Livros

Administração Verde

Administração Verde

Descrição

Administração Verde
O caminho sem volta da sustentabilidade ambiental nas organizações

1ª. edição
Ano: 2016
Editora Elsevier

Sumário

PARTE 1
O CAMINHO SEM VOLTA DA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL NAS ORGANIZAÇÕES

CAPÍTULO 1 – PRODUÇÃO DE BENS OU PROTEÇÃO DOS RECURSOS NATURAIS?
1.1. Introdução
1.2. Histórico do uso dos recursos naturais pelo homem
1.3. Produção de bens ou proteção dos recursos naturais? Como superar esse aparente dilema?
1.4. Inovação e criatividade no desenvolvimento do mercado verde
Minicase: Descarte de aparelhos celulares e baterias
Exercícios de Fixação

CAPÍTULO 2 – SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL NAS ORGANIZAÇÕES PÚBLICAS E PRIVADAS
2.1. Introdução
2.2. Sustentabilidade ambiental nas organizações públicas: o papel dos governos como agentes de transformação de uma sociedade consumista para uma sociedade sustentável
2.3. Sustentabilidade ambiental nas organizações privadas: como identificar as que estão engajadas com o meio ambiente daquelas que praticam a chamada “lavagem verde” (greenwashing)?
2.4. Motivação ambiental ou econômica? Por que existem organizações que realmente adotam a sustentabilidade ambiental como fator estratégico em seus negócios?
Minicase: Sinalização de aspectos ambientais aos consumidores
Exercícios de Fixação

CAPÍTULO 3 – O MEIO AMBIENTE NA FORMAÇÃO DO ADMINISTRADOR
3.1. Introdução
3.2. Administrador ou Gestor Ambiental? Quais as diferenças entre os profissionais?
3.3. Por que a temática “meio ambiente” deve fazer parte da formação profissional do Administrador?
3.4. Transversalidade da temática socioambiental nos componentes curriculares do curso de Administração
3.5. Preparando melhor os Administradores para a geração de valor sustentável nas organizações
Minicase: Meio ambiente na formação do Administrador
Exercícios de Fixação

CAPÍTULO 4 – SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL E ALTA ADMINISTRAÇÃO
4.1. Introdução
4.2. Alta administração desencadeando o processo de geração de valor sustentável na organização
4.3. Planejamento estratégico ambiental: “definir prioridades em termos de geração de valor sustentável”
4.4. Planejamento tático ambiental: “fazer com que as pessoas abracem a causa ambiental (ou seria econômica?) nas organizações”
4.5. Planejamento operacional ambiental: “colocar a ‘mão na massa’ pelo meio ambiente”
4.6. Modelo de geração de valor sustentável nas organizações
Minicase: Ganhos ambientais e econômicos na otimização de recursos
Exercícios de Fixação

PARTE 2
ATIVIDADES QUE AUXILIAM NA GERAÇÃO DE VALOR SUSTENTÁVEL (ATIVIDADES-MEIO)

CAPÍTULO 5 – GESTÃO DE PESSOAS E MEIO AMBIENTE
5.1. Introdução
5.2. Da administração de recursos humanos para a gestão de pessoas comprometidas com as questões ambientais da empresa
5.3. Recrutamento e seleção de candidatos engajados em sustentabilidade ambiental
5.4. Capacitação de empregados no desenvolvimento da criatividade e inovação como ferramentas para lidarem com a sustentabilidade ambiental
5.5. A área ambiental em destaque no organograma das organizações
5.6. Empregados engajados em sustentabilidade como multiplicadores de boas práticas ambientais na sociedade
Minicase: Sustentabilidade ambiental nos níveis hierárquicos das empresas
Exercícios de Fixação

CAPÍTULO 6 – FINANÇAS E SUSTENTABILIDADE
6.1. Introdução
6.2. Meio ambiente tratado como investimento: ganho econômico atrelado aos ganhos ecológicos
6.3. Gastos relacionados à obtenção de certificações de cunho ambiental
6.4. Financiamento do produto verde pelos produtos convencionais
Minicase: O produto verde em marcas conhecidas pelo mercado
Exercícios de Fixação

CAPÍTULO 7 – PRODUÇÃO E MEIO AMBIENTE

7.1. Introdução
7.2. Produção mais limpa, ecoeficiência e ecodesign
7.3. Produção sustentável como garantia de sobrevivência da empresa
Minicase: Criatividade e inovação a favor do meio ambiente
Exercícios de Fixação

CAPÍTULO 8 – LOGÍSTICA REVERSA
8.1. Introdução
8.2. Logística tradicional e estratégias de distribuição
8.3. Logística reversa e sua importância estratégica
8.4. Avaliação do ciclo de vida e obsolescência programada
Minicase: Revalorização econômica de embalagens e produtos descartados
Exercícios de Fixação

CAPÍTULO 9 – SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA VERDE
9.1. Introdução
9.2. TI Verde
9.3. Sistemas de informação em processos visando certificações de cunho ambiental
Minicase: A tecnologia como aliada da sustentabilidade ambiental
Exercícios de Fixação

CAPÍTULO 10 – SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL
10.1. Introdução
10.2. Promover apenas algumas melhorias ambientais, implementar um SGA ou buscar uma certificação de gestão ambiental ISO 14.001? Como tomar a melhor decisão?
10.3. Implementação do SGA por conta própria ou contratação de uma consultoria especializada em gestão ambiental? Qual a melhor alternativa?
10.4. Política ambiental no SGA
10.5. Planejamento do SGA
10.6. Implementação do SGA
10.7. Monitoramento e revisão gerencial do SGA
Minicase: Os diferentes patamares de sustentabilidade no ambiente interno das organizações
Exercícios de Fixação

PARTE 3
ATIVIDADES QUE GERAM VALOR SUSTENTÁVEL (ATIVIDADES-FIM)

CAPÍTULO 11 – ESTRATÉGIAS VERDES
11.1. Introdução
11.2. Estratégia competitiva na empresa verde
11.3. Forças competitivas no mercado verde
11.4. Matriz SWOT no mercado verde
11.5. Grupos estratégicos no mercado verde
Minicase: As oportunidades de mercado proporcionadas pelos produtos verdes
Exercícios de Fixação

CAPÍTULO 12 – CONSUMO RESPONSÁVEL
12.1. Introdução
12.2. Comportamento do consumidor
12.3. Consumo responsável
12.4. Comportamento do consumidor verde
12.5. Responsabilidade socioambiental no consumo
Minicase: O poder exercido pelo consumidor responsável
Exercícios de Fixação

CAPÍTULO 13 – MARKETING AMBIENTAL
13.1. Introdução
13.2. Desenvolvimento do marketing
13.3. Surgimento do marketing ambiental
13.4. Formulação das estratégias de marketing ambiental
13.5. Composto de marketing ambiental
Minicase: O marketing a partir da visão de sustentabilidade ambiental
Exercícios de Fixação

CAPÍTULO 14 – DIFERENCIAL VERDE
14.1. Introdução
14.2. Vantagem competitiva no mercado verde
14.3. Marketing de relacionamento na empresa verde
14.4. Desenvolvimento de uma marca verde
14.5. Obtenção de uma certificação ou selo de cunho ambiental
Minicase: A sorveteria que alia sabor e sustentabilidade ambiental
Exercícios de Fixação

PARTE 4
VALOR SUSTENTÁVEL NA ORGANIZAÇÃO

CAPÍTULO 15 – VALOR SUSTENTÁVEL E NEGÓCIOS
15.1. Introdução
15.2. Responsabilidade socioambiental
15.3. Melhoria na imagem institucional
15.4. Valor sustentável na organização e seus efeitos na sociedade
Minicase: Empreendedorismo social em viagens para o público de baixa renda
Exercícios de Fixação

CONSIDERAÇÕES FINAIS

RESPOSTA DOS EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

REFERÊNCIAS

Consumo Verde

Consumo Verde

Descrição

Consumo Verde
Comportamento do Consumidor Responsável

1ª. edição
Ano: 2011
Editora UFV

Sumário

PARTE 1
IMPORTÂNCIA DO ESTUDO DO COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR

CAPÍTULO 1 – COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR
Origem do Estudo sobre o Consumidor
Definição de Comportamento do Consumidor
Ética na Relação “Consumidor versus Empresa versus Sociedade”
Surgimento do “Consumidor Verde” ou “Consumidor Responsável”

CAPÍTULO 2 – COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR E O MARKETING VERDE
As Necessidades do Consumidor e o Desejo de Comprar um Produto
Os Processos de Troca no Consumo
O Marketing a Partir da Perspectiva do Comportamento do Consumidor
Surgimento da “Empresa Verde” ou “Empresa Responsável”

PARTE 2
MODELO DO COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR VERDE

CAPÍTULO 3 – MODELO DO COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR VERDE
Comportamento do Consumidor e a Microeconomia
Modelo do Comportamento do Consumidor Verde

CAPÍTULO 4 – INFLUÊNCIAS INTERNAS NO CONSUMO VERDE
Percepção Ambiental e Envolvimento
Exposição
Atenção
Interpretação
Motivação, Razão e Aprendizado Ambientais
Motivação Ambiental
Razão Ambiental
Aprendizado Ambiental
Memória Ambiental
Crença, Atitude e Comportamento Ambientais
Teoria do Equilíbrio Relacionada com a Questão Ambiental
Comunicação como Fator para Influenciar a Crença, Atitude e Comportamento Ambiental
Personalidade Ambiental

CAPÍTULO 5 – INFLUÊNCIAS EXTERNAS NO CONSUMO VERDE
Cultura e sua Relação com o Meio Ambiente
Subcultura, Fatores Demográficos, Status Social e sua Relação com o Meio Ambiente
Grupos de Referência, Família e sua Relação com o Meio Ambiente

CAPÍTULO 6 – AUTOIMAGEM E ESTILO DE VIDA DO CONSUMIDOR VERDE
Autoimagem do Consumidor Verde
Estilo de Vida do Consumidor Verde
Necessidades e Desejos do Consumidor Verde

CAPÍTULO 7 – PROCESSO DE DECISÃO DE COMPRA NO CONSUMO VERDE
Reconhecimento do Problema
Busca de Informações Ambientais
Avaliação e Seleção de Alternativas Ambientais
Escolha do Fornecedor e Compra do Produto ou Serviço Ambiental
Consumo, Avaliação de Pós-compra e Descarte

CAPÍTULO 8 – FATORES SITUACIONAIS E ESTÍMULOS DE MARKETING NO CONSUMO VERDE
Fatores Situacionais
Estímulos de Marketing

PARTE 3
CONSUMIDOR VERDE NO SÉCULO XXI

CAPÍTULO 9 – DESAFIOS PARA O CONSUMO VERDE
Responsabilidade Social no Consumo
Responsabilidade Ambiental no Consumo
Descarte de Produtos

CAPÍTULO 10 – OPORTUNIDADES E PERSPECTIVAS PARA O CONSUMO VERDE
Do Consumo Tradicional para o Consumo Verde: mudança no comportamento do consumidor do século XXI
O Consumo Verde como Oportunidade de Negócio para as Empresas
Um Olhar sobre as Perspectivas de Crescimento do Consumo Verde no Século XXI

REFERÊNCIAS

Certificação Florestal na Indústria

Certificação Florestal na Indústria

Descrição

Certificação Florestal na Indústria
Aplicação Prática da Certificação de Cadeia de Custódia

1ª. edição
Ano: 2015
Editora Manole

Sumário

SUMÁRIO RESUMIDO
• Responsabilidade social e ambiental das empresas
• Certificação florestal
• Certificação florestal no setor industrial: a indústria moveleira como exemplo
• Guia para implementação da certificação florestal na indústria
• Aplicação prática da implementação da certificação florestal na indústria
• Custos da certificação florestal na indústria
• Simulação de cenários econômicos na indústria certificada
• Exercícios

PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS
Com base em anos de estudos relacionados à certificação florestal e na vivência prática dos autores em consultorias e auditorias em empresas, a obra trata dos seguintes temas, entre outros:
• Responsabilidade social e ambiental das empresas
• Implementação da certificação florestal na indústria (com guia para implementação e aplicação prática)
• Custos da certificação florestal
• Cenários econômicos na indústria certificada

Outros livros e
capítulos de livros.

Marketing Ambiental

Marketing Ambiental

Descrição

Marketing Ambiental
Sustentabilidade empresarial e mercado verde

1ª. edição
Ano: 2016
Editora Manole

Sumário

PARTE 1
NA TRILHA DOS NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS

CAPÍTULO 1 – DA SATISFAÇÃO INDIVIDUAL AO BEM-ESTAR SOCIAL
1.1. Marketing tradicional
1.2. Marketing social
1.3. Empresas e negócios sociais
1.4. Marketing centrado no ser humano (marketing 3.0)
Exercícios de fixação

CAPÍTULO 2 – MARKETING AMBIENTAL
2.1. Surgimento e consolidação do marketing ambiental
2.2. Empresas com boas práticas ambientais e o greenwashing
2.3. Importância dos selos e certificações de cunho ambiental para o marketing das empresas verdes
2.4. Papel do consumidor no estabelecimento do marketing nas empresas verdes
Exercícios de fixação

CAPÍTULO 3 – MARKETING E SEU PAPEL NA ESTRATÉGIA DAS EMPRESAS VERDES
3.1. Importância da união de aspectos econômicos e ambientais nas estratégias de marketing da empresa verde
3.2. Marketing ambiental como parte da estratégia das empresas verdes
3.3. Modelo de marketing ambiental para empresas verdes
Exercícios de fixação

PARTE 2
POR DENTRO DO MARKETING AMBIENTAL

CAPÍTULO 4 – FORMULAÇÃO DAS ESTRATÉGIAS DE MARKETING PARA EMPRESAS VERDES
4.1. Segmentação de mercado para produtos convencionais
4.2. Segmentação de mercado para produtos verdes
4.3. Identificação e seleção do público-alvo no marketing tradicional
4.4. Identificação e seleção do público-alvo no marketing ambiental
4.5. Diferenciação e posicionamento de mercado no marketing tradicional
4.6. Diferenciação e posicionamento de mercado no marketing ambiental
Exercícios de fixação

CAPÍTULO 5 – PRODUTO NO MARKETING AMBIENTAL
5.1. Surgimento da “empresa verde”
5.2. Produto verde
5.3. A qualidade ambiental como parte do produto ampliado
5.4. Associações que favorecem o reconhecimento da qualidade ambiental
Exercícios de fixação

CAPÍTULO 6 – PREÇO NO MARKETING AMBIENTAL
6.1. Estabelecimento do preço de um produto convencional
6.2. Determinação do preço do produto verde
Exercícios de fixação

CAPÍTULO 7 – PROMOÇÃO NO MARKETING AMBIENTAL
7.1. Comunicação de marketing para produtos verdes
7.2. Da conscientização à compra de um produto verde
7.3. Estratégias de mix de promoção para produtos verdes
Exercícios de fixação

CAPÍTULO 8 – DISTRIBUIÇÃO NO MARKETING AMBIENTAL
8.1. Gerenciamento de canais e rede de entrega de valor
8.2. Aspectos sociais e ambientais e seu valor para os consumidores
8.3. Ciclo de vida útil do produto e impactos ambientais
8.4. Obsolescência programada e logística reversa
Exercícios de fixação

PARTE 3
O FUTURO DOS NEGÓCIOS PASSA PELO MARKETING AMBIENTAL

CAPÍTULO 9 – ASPECTOS QUE FORTALECEM O MARKETING NAS EMPRESAS VERDES
9.1. Desenvolvimento de uma marca verde
9.2. Estabelecimento de um sistema de gestão ambiental (SGA)
9.3. Obtenção de certificações e selos ambientais
Exercícios de fixação

CAPÍTULO 10 – MARKETING AMBIENTAL VISTO NO HORIZONTE
10.1. Responsabilidade social das empresas
10.2. Responsabilidade ambiental das empresas
10.3. Das práticas convencionais às práticas sustentáveis
10.4. O marketing ambiental como estratégia empresarial
Exercícios de fixação

PARTE 4
APLICAÇÕES DIVERSAS DO MARKETING AMBIENTAL

ESTUDO DE CASO 1: J. J. PRODUTOS ORGÂNICOS
a) Descrição do empreendimento
b) Oportunidade para desenvolvimento do marketing ambiental
c) Formulação das estratégias de marketing ambiental
d) Composto de marketing ambiental
e) Questões propostas sobre o estudo de caso

ESTUDO DE CASO 2: ELETRODOMÉSTICOS ODENSE
a) Descrição do empreendimento
b) Oportunidade para desenvolvimento do marketing ambiental
c) Formulação das estratégias de marketing ambiental
d) Composto de marketing ambiental
e) Questões propostas sobre o estudo de caso

ESTUDO DE CASO 3: MÓVEIS CERTIFICADOS AYMORÉS
a) Descrição do empreendimento
b) Oportunidade para desenvolvimento do marketing ambiental
c) Formulação das estratégias de marketing ambiental
d) Composto de marketing ambiental
e) Questões propostas sobre o estudo de caso

ESTUDO DE CASO 4: CGM COSMÉTICOS
a) Descrição do empreendimento
b) Oportunidade para desenvolvimento do marketing ambiental
c) Formulação das estratégias de marketing ambiental
d) Composto de marketing ambiental
e) Questões propostas sobre o estudo de caso

ESTUDO DE CASO 5: ALIANÇA VERDE RECICLADOS
a) Descrição do empreendimento
b) Oportunidade para desenvolvimento do marketing ambiental
c) Formulação das estratégias de marketing ambiental
d) Composto de marketing ambiental
e) Questões propostas sobre o estudo de caso

ESTUDO DE CASO 6: CARRO ELÉTRICO IWATE
a) Descrição do empreendimento
b) Oportunidade para desenvolvimento do marketing ambiental
c) Formulação das estratégias de marketing ambiental
d) Composto de marketing ambiental
e) Questões propostas sobre o estudo de caso

ESTUDO DE CASO 7: ICB ENGENHARIA SUSTENTÁVEL
a) Descrição do empreendimento
b) Oportunidade para desenvolvimento do marketing ambiental
c) Formulação das estratégias de marketing ambiental
d) Composto de marketing ambiental
e) Questões propostas sobre o estudo de caso

CONSIDERAÇÕES FINAIS

RESPOSTAS DOS EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

REFERÊNCIAS

Empresas Verdes

Empresas Verdes

Descrição

Empresas Verdes
Estratégia e Vantagem Competitiva

1ª. edição
Ano: 2011
Editora UFV

Sumário

PARTE 1
MODELO DE DIFERENCIAL VERDE PARA EMPRESAS AMBIENTALMENTE RESPONSÁVEIS

CAPÍTULO 1 – RESPONSABILIDADE AMBIENTAL E SOCIAL DAS EMPRESAS
Por que as empresas, os governos e os indivíduos são responsáveis pelo meio ambiente?
Mercado verde
Mercado verde e sua importância na estratégia e vantagem competitiva das empresas

CAPÍTULO 2 – MODELO DE DIFERENCIAL VERDE PARA EMPRESAS AMBIENTALMENTE RESPONSÁVEIS
Os modelos tradicionais de estratégia e vantagem competitiva
Modelo de diferencial verde

PARTE 2
ESTRATÉGIA COMPETITIVA PARA EMPRESAS VERDES

CAPÍTULO 3 – FORÇAS COMPETITIVAS NO MERCADO VERDE
Estratégia competitiva
Definição de mercado verde
Forças competitivas no mercado verde
Entrantes potenciais no mercado verde
Rivalidade entre os concorrentes no mercado verde
Produtos convencionais e produtos substitutos no mercado verde
Fornecedores e sua relação com o mercado verde
Compradores e sua atuação no mercado verde
Atuação do governo no mercado verde
Exemplificação das forças de concorrência em um mercado verde

CAPÍTULO 4 – MATRIZ SWOT NO MERCADO VERDE
Análise do microambiente da empresa e avaliação estrutural do mercado
Matriz SWOT e sua aplicação no mercado verde
Análise dos pontos fortes e dos pontos fracos da empresa verde
Análise das oportunidades e ameaças para a empresa verde

CAPÍTULO 5 – POSICIONAMENTO DO PORTFÓLIO DA EMPRESA NO MERCADO VERDE
Posicionamento do portfólio da empresa no mercado
A constituição do portfólio da empresa no mercado verde
Matriz mercado convencional versus mercado verde

CAPÍTULO 6 – ESTRATÉGIAS COMPETITIVAS GENÉRICAS PARA A EMPRESA VERDE
Estratégias competitivas genéricas
Estratégias competitivas genéricas utilizadas no mercado verde
Estratégia de custo no mercado verde
Estratégia de diferencial verde
Estratégia de enfoque no mercado verde
O “meio termo” e sua implicação no mercado verde
Riscos envolvidos no uso das estratégias genéricas no mercado verde

CAPÍTULO 7 – GRUPOS ESTRATÉGICOS NO MERCADO VERDE
Grupos estratégicos no mercado verde
Barreiras de mobilidade no mercado verde

PARTE 3
VANTAGEM COMPETITIVA PARA EMPRESAS VERDES

CAPÍTULO 8 – CADEIA DE VALORES DA EMPRESA VERDE
Definição de vantagem competitiva
Cadeia de valores
Subdivisões da cadeia de valores
Cadeia de valores da empresa verde
Subdivisões da cadeia de valores da empresa verde

CAPÍTULO 9 – VANTAGEM DE CUSTO NO MERCADO VERDE
Cadeia de valores da empresa verde e análise de custos
Condutores dos custos em uma empresa verde
Obtenção de vantagem de custo no mercado verde

CAPÍTULO 10 – DIFERENCIAL VERDE
Diferencial verde e a cadeia de valores
Condutores de singularidade em uma empresa verde
Custo do diferencial verde
Valor de um produto verde para o comprador
Critérios de uso e de sinalização na compra de um produto verde

PARTE 4
EXEMPLOS DE ESTRATÉGIAS PARA OBTENÇÃO DE DIFERENCIAL VERDE

CAPÍTULO 11 – MARKETING DE RELACIONAMENTO NA EMPRESA VERDE
Definição de marketing de relacionamento
Definição de CRM (Customer Relationship Management)
Marketing de relacionamento e CRM na empresa verde
Marketing de relacionamento e cadeia de valores na empresa verde
Valorização dos clientes mais rentáveis na empresa verde

CAPÍTULO 12 – MARCA VERDE
Origem da marca
Definição de marca verde
Importância do reconhecimento de uma marca verde pelo consumidor
Marca verde e cadeia de valores da empresa e do consumidor
Associações, imagem e posicionamento estabelecidos com a marca verde
Gerenciamento da marca verde: arquitetura, nome, símbolo e slogan

CAPÍTULO 13 – CERTIFICAÇÕES E SELOS AMBIENTAIS
Importância da certificação e dos selos ambientais para o mercado verde
Principais tipos de certificações e selos ambientais
A busca pela certificação ambiental

REFERÊNCIAS

Consumo Consciente

Consumo Consciente

Descrição

Consumo Consciente
Por que isso nos diz respeito?

1a edição
Ano: 2017
Administração Verde

Sumário

SUMÁRIO

APRESENTAÇÃO
PARTE 1
DO CONSUMISMO AO CONSUMO CONSCIENTE

CAPÍTULO 1 – CONSUMO E CONSUMISMO
1.1. Introdução
1.2. Histórico da utilização dos recursos naturais pela humanidade
1.3. Origem do consumo: atendimento às necessidades e desejos do ser humano
1.4. Origem do consumismo: fatores comportamentais e mercadológicos
1.5. O consumismo e a obsolescência programada
1.6. Os problemas ambientais gerados pelo consumismo
MINICASE: As novas gerações e a atratividade por produtos mais modernos
Exercícios de Fixação

CAPÍTULO 2 – MARKETING E CONSUMISMO
2.1. Introdução
2.2. O papel do marketing no surgimento do consumismo
2.3. O “produto” e o consumismo
2.4. O “preço” e o consumismo
2.5. A “promoção” e o consumismo
2.6. A “distribuição” e o consumismo
2.7. Consumismo e compras impulsivas
2.8. Consumismo e compras compulsivas
2.9. Relação do marketing digital com o consumismo
MINICASE: As duas faces do consumo na era digital
Exercícios de Fixação

CAPÍTULO 3 – CONSUMO CONSCIENTE
3.1. Introdução
3.2. O outro lado da moeda: o consumo consciente
3.3. Porque o consumo consciente nos diz respeito?
3.4. A “luta ingrata” do consumo consciente
3.5. Modelo para entendimento do consumo consciente: aspectos abstratos e concretos
MINICASE: A segunda chance que pode trazer bons negócios
Exercícios de Fixação

PARTE 2
ASPECTOS ABSTRATOS RELACIONADOS AO CONSUMO CONSCIENTE

CAPÍTULO 4 – CULTURA COMO BASE PARA O CONSUMO CONSCIENTE
4.1. Introdução
4.2. Cultura: “a parte submersa do iceberg”
4.3. Cultura e seu papel no consumo consciente
4.4. Subcultura, fatores demográficos, status social e seu papel no consumo consciente
4.5. Grupos de referência e família e seu papel no consumo consciente
4.6. Ajuste do “mindset” de pessoas, empresas e governos voltado para o consumo consciente
MINICASE: A influência do líder de opinião e a cultura em dois locais distintos
Exercícios de Fixação

CAPÍTULO 5 – EDUCAÇÃO AMBIENTAL E CONSUMO CONSCIENTE
5.1. Introdução
5.2. Educação ambiental e seu papel no consumo consciente
5.3. A educação ambiental como ferramenta transformadora da cultura no longo prazo
5.4. A importância das boas práticas ambientais trazidas por empresas multinacionais
5.5. Gestão de pessoas comprometidas com as questões ambientais na empresa
5.6. Empregados engajados em sustentabilidade como multiplicadores de boas práticas ambientais na sociedade
5.7. Ações positivas dos governos em relação ao consumo consciente
5.8. Importância das novas tecnologias, da internet e das mídias sociais no processo de educação ambiental
MINICASE: A educação ambiental e o uso de aplicativos para celulares
Exercícios de Fixação

CAPÍTULO 6 – COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR RESPONSÁVEL
6.1. Introdução
6.2. Geração de valor sustentável nas organizações
6.3. Consumo consciente e fatores de influência interna e externa
6.4. Autoimagem e estilo de vida no consumo consciente
6.5. Necessidades e desejos no consumo consciente
6.6. Processo de decisão de compra no consumo consciente
6.7. Importância das organizações que atuam no consumo consciente
6.8. A nova onda do desapego: o consumo colaborativo
MINICASE: Adotando os princípios do consumo colaborativo
Exercícios de Fixação

PARTE 3
ASPECTOS CONCRETOS RELACIONADOS AO CONSUMO CONSCIENTE

CAPÍTULO 7 – RESPONSABILIDADE SOCIAL E AMBIENTAL DAS ORGANIZAÇÕES
7.1. Introdução
7.2. Ações humanas: “a parte visível do iceberg”
7.3. Organizações públicas e o consumo consciente: “o exemplo que deve vir do poder público”
7.4. Responsabilidade social e ambiental das empresas
7.5. Governança corporativa e consumo consciente
7.6. A forte relação entre compliance e sustentabilidade
7.7. Planejamento visando a geração de valor sustentável nas empresas
7.8. Um novo tipo de empresa é possível: Empresas “B” e Benefit Corporations
MINICASE: O poder público e seu papel na sustentabilidade ambiental
Exercícios de Fixação

CAPÍTULO 8 – USO INTELIGENTE DOS RECURSOS NATURAIS
8.1. Introdução
8.2. Impactos ambientais positivos e negativos no desenvolvimento de
produtos e serviços
8.3. Identificação de matéria-prima de origem responsável: o papel da rastreabilidade
8.4. Planejamento ambiental no INÍCIO da cadeia produtiva: Repensar o projeto dos produtos
8.5. Planejamento ambiental no FINAL da cadeia produtiva: Desenvolvimento da logística reversa
8.6. Matriz dos R’s
MINICASE: Sustentabilidade ambiental do início ao fim da cadeia de produção
Exercícios de Fixação

CAPÍTULO 9 – UTILIZAÇÃO DE ENERGIAS RENOVÁVEIS
9.1. Introdução
9.2. O mundo do passado: a energia advinda de combustíveis fósseis e combustíveis nucleares
9.3. O mundo do presente: por que a humanidade caminha para a busca por energias renováveis?
9.4. O mundo do futuro: a energia advinda de fontes renováveis
9.5. Energiewende: a virada energética alemã
9.6. Um exemplo de transformação: o uso das energias renováveis na construção civil
9.7. O que muda no consumo consciente com as energias renováveis?
MINICASE: A energia e a economia que vem do sol
Exercícios de Fixação

CAPÍTULO 10 – DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS VERDES
10.1. Introdução
10.2. Conhecimento, criatividade e inovação no desenvolvimento de produtos verdes
10.3. Cocriação: aproximando (e interagindo) clientes e empresas
10.4. Design Thinking e consumo consciente
10.5. União dos aspectos ecológicos e econômicos na fabricação de um produto verde
10.6. Sinalizando os atributos ambientais dos produtos: o papel dos selos de eficiência energética
10.7. Produtos certificados e sua importância no consumo consciente
MINICASE: O produto verde que agrega valor para o cliente
Exercícios de Fixação

CAPÍTULO 11 – MOBILIDADE URBANA
11.1. Introdução
11.2. Impactos ambientais e mobilidade urbana ao longo da história
11.3. Deslocamentos de média e longa distância: cultura e o uso de transportes coletivos e individuais
11.4. Deslocamentos de curta distância: mobilidade urbana e democratização em seu acesso
11.5. Exemplos práticos de mobilidade urbana e consumo consciente
MINICASE: Um modelo de cidade sustentável
Exercícios de Fixação

PARTE 4
CONSUMO CONSCIENTE E SOCIEDADE

CAPÍTULO 12 – UM POUCO MAIS SOBRE CONSUMO CONSCIENTE
12.1. Introdução
12.2. Algo precisa ficar claro: meio ambiente não é “moda”!
12.3. Uma realidade que muitos não querem enxergar: sustentabilidade ambiental e negócios “caminham lado a lado”
12.4. Premissa fundamental do consumo consciente: os consumidores não querem um produto que seja somente “verde”
12.5. O “melhor dos mundos”: empresas e governos criando valor sustentável na sociedade e pessoas adotando a prática do consumo consciente
12.6. Mãos à obra: há muito o que se fazer!
MINICASE: O consumo consciente veio para ficar
Exercícios de Fixação

RESPOSTAS DOS EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

REFERÊNCIAS

Comprar

Pedidos pelo e-mail ricardo@administracaoverde.com.br